Pages Navigation Menu

O Melhor site de turismo LGBT

Turismo Anti-LGBT: destinos onde a Homofobia impera

Alguns destinos são consagrados como Gay Friendly e recebem Turistas LGBT com dignidade. Na mão oposta, em outros locais o Turismo é Anti-LGBT, a Homofobia impera e é melhor nem pisar.

Alguns destinos são consagrados como Gay Friendly e receberem os Turistas LGBT com dignidade. Na mão oposta, existem locais onde o Turismo é Anti-LGBT, onde a Homofobia impera e onde é melhor nem aparecer.

Destinos onde a Homofobia impera

Destinos onde a Homofobia impera

Pensando nisso, o site Viagem LGBT elaborou uma lista dos países onde nem é bom colocar os pés, com o risco de sofrer hostilidades, agressões, ser preso e, até mesmo, condenado a morte. Veja a lista:

América do Norte
– Antígua e Barbuda (ilha): não reconhece relacionamentos homossexuais, e que os gays podem ser sentenciados a até 15 anos de prisão por sua orientação sexual.

Ásia
– Arábia Saudita: 
considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo e condena à pena de morte.
– China: 
recentemente gays foram presos por participar de orgia num hotel, pois as leis sobre o sexo no pais ainda são muito rígidas.
– Iêmen: considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo e condena à pena de morte.
– Índia:
 o sexo consensual gay entre dois adultos é crime no país.
– Irã: considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo e condena à pena de morte.
– Tajiquistão: país de cultura muçulmana, não oferece nenhuma proteção aos homossexuais.

Oceania
– Austrália: sua capital, Canberra, recentemente anulou a lei de casamento entre pessoas do mesmo sexo.

África
– Argélia: considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Angola: considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Botswana:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Camarões:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo e os infratores são condenados à prisão.
– Egito:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Eritreia:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Etiópia:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Gana: considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Guiné:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Libéria:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Líbia:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Marrocos:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Mauritânia:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo e condena à pena de morte.
– Moçambique:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Nigéria: uma lei federal proíbe o casamento gay e criminaliza associações, sociedades e encontros homossexuais, com penas de até 14 anos de prisão e até chicoteamento, e incentiva a denúncia de homossexuais, prevendo pena a quem ocultá-los.
– Quênia:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– República da Gâmbia: seu presidente declarou que homossexuais são iguais a mosquitos da malária, e devem ser tratados da mesma forma.
– Senegal: no país africano, a homossexualidade pode ser punida com até cinco anos de prisão.
– Somália:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo e condena à pena de morte.
– Sudão: considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo e condena à pena de morte.
– Sudão do Sul:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Tanzânia:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Togo:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Tunísia:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Uganda: a legislação antigay ugandense pune o sexo homossexual com penas que podem chegar a prisão perpétua. Há deputados que defendem a implementação de uma lei que condenaria gays à morte em caso de reincidência. Incentiva a denúncia de homossexuais, prevendo pena a quem ocultá-los.
– Zâmbia:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.
– Zimbábue:  considera ilegal as relações entre pessoas do mesmo sexo.

Europa
– Rússia: a adoção de uma lei que penaliza a “propaganda homossexual” diante de menores se seguiu de uma retórica de homofobia na imprensa favorável ao poder, e de uma escalada da violência contra os homossexuais. Recentemente hospedou as Olimpíadas de Inverno de 2014 na cidade de Sochi, onde o seu prefeito afirmou que a homossexualidade não era aceita naquela região do Cáucaso.

468 ad

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *